quarta-feira, 8 de junho de 2011

Férias no cruzeiro !

Olá pessoas ,
Hoje quero compartilhar com voces a minha viagem de cruzeiro que fiz em março deste ano com minha familia.
Posso dizer que passei ali quatro dias maravilhosos num návio que é realmente explendido :" Explendor of the seas " puro luxo!  Excelênte atendimento me causaram uma ótima impressão , fiquei realmente encantada com tudo o que vi e vivi ali naqueles quatro dias.
Eu na 1°viagem no Explendor !
Como minha familia não é pequena fica díficil conciliar todas as filhas, para uma viagem de férias em familia , mas nessa foram comigo eu, meu marido, minha filha Stéphanie, Alanna,Carla e a Anne, ainda faltaram a Anna e a Júliane, fora os genros.
Viajar em familia sempre é muito bom e o que não faltou nessa viagem foram momentos felizes em familia , tudo era motivo de festa e alegria desde a saída de Cuiabá ate a chegada em Santos tudo foi realmente mágico.

Embarcando no Návio.

Esta foi minha segunda viagem no mesmo návio , a primeira vez fui em lua de mel com o maridão, gostei tanto que decidi que um dia iria levar as meninas para viver um pouquinho daqueles momentos maravilhosos tambem então depois de 2 anos conseguimos levar a tropa com a gente.

Elas ficaram encantadas, também não era pra menos ficamos no 7° andar do návio em suites com sacadas com vista para o mar. 

Mal desembarcamos no návio , fomos direto para o deck 9°, onde estava rolando a festa de despedida de Santos, muito legal com banda ao vivo de axé e dançarinas agitando a galera , as meninas adoraram a festa e o comandante faz uma graça para os outros návios que estão atracados buzinando para eles é muito legal mesmo.
Tudo ali é muito perfeito, fomos atendidos por pessoas de todos os lugarem do mundo e todos com uma alegria e disposição para bem servir que nunca havia visto antes.

Tropa toda no elevador do Návio.

Lá voce tem que acompahar a programação pela tv no seu quarto ou  pelo jornalzinho interno porque a todo minuto acontece um coisa diferente no návio e voce tem que se programar para decidir o que vai fazer, que eventos ira participar entre tantos entretenimentos que acontecem simultanêamente.
Aulas de dança , spá , aulas de ginastica a beira da piscina, aulas de dobradura de toalhas onde eles ensinam maravilhas com as toalhas, fazem elefantinhos, ratinhos, tantos bichinhos lindos com as toalhas, escalada , mini golf, concurso de barrigada na piscina, aulas de culinaria etc etc etc...
Voces não tem noção do tanto de atividades que tem pra fazer num mini cruzeiro como este.
Mas é a noite que as coisas acontecem, iamos ao teatro ver os musicais , ao cassin , a boate e as festas muitas festas a que mais gostei foi a de carnaval, mas teve a do comandante e a dos anos 70 .
E as esculturas de gelo, nunca vi tantas coisas lindas juntas e as mesas de frutas esparramadas pelo 9° andar do návio , um luxo só!!
Mas nos restaurantes ...

Stéphanie e Carla

<>
Stéphanie

Ai sim voce se sente muito importante , porque eles te servem como se estivessem servindo a pessoa mais importante do návio, tivemos o prazer de comemorar o aniversário de minha enteada Anne lá, todos do restaurante cantaram e bateram palmas para ela, foi muito lindo , depois começaram a dançar aquelas musicas italianas tarantela com lenços brancos na mão, lindo, lindo, lindo!
Sem dúvidas foi uma viagem que deixou saudades, é uma viagem que indico a todos que puderem fazer que a façam , vale muito a pena.
Durante o dia o návio para nas principais praias e ficam levando e trazendo as pessoas em barcos menores o dia todo, o nosso parou em Buzios e ilha Bela, enquanto o Návio fica ali parado dá pra voce fazer passeios legais nas cidades, fomos almoçar na praia e andar de escuna pelas praias de Buzios-RJ.

Comidas maravilhosas !

Não preciso dizer o quanto as meninas curtiram esse passeio né e conheceram varias pessoas legais na viagem, eu adorei tudo principalmente propriciar a elas momentos tão felizes e inesqueciveis que ficaram marcados em suas vidas pra sempre.


 video
Fica a dica a partir de novembro os Navios começam a chegar na costa Brasileira reserve seu    pacote !




sexta-feira, 3 de junho de 2011

Minha vida no Japão.

Olá , amigos !
Hoje quero compartilhar com voces minha história de vida no Japão .
Eu tinha 17 anos e uma vontade imensa de ganhar o mundo, conhecer pessoas, morar sozinha, viajar, curtir a vida, essas coisas que todo adolescente nessa idade sonham viver um dia, comigo não foi diferente só que eu fui parar do outro lado do mundo !

Castelo de Nagoia
 Viajei sozinha e pela primeira vez em minha  vida de avião de São Paulo ate Nagoia , no Japão.
Durante a viagem embora muito cansada não conseguia dormir , era muita uma mistura de anciedade, felicidade, liberdade, que eu jamais havia sentido...

Foram quase 30 horas de vôo , e o cansaso me consumiu , quando acordei ja estava em Nagoia e para o meu desespero ao desembarcar não conseguia entender uma única palavra do que falavam ao meu redor, o panico foi tomando conta de mim , derrepente vejo um senhor japonês com uma placa com meu nome, fiquei mais tranquila mesmo não entendendo nada do que ele dizia, ele me levou para um hotel , era noite mas eu pude ver a magia das cores , dos neons pela cidade , era algo indescritivel uma mistura do que há de mais moderno no mundo com o mais tradicional estilo japonês , fiquei muito encantada com tudo que ví, e no outro dia cedo depois do café da manhã, pegamos um trem e fomos para a cidade de Anjio-shi ,onde eu iria morar e trabalhar, o silêncio era total, ele ate que se esforçava para tentar se comunicar comigo, mas era em vão, eu não conseguia entender nada.

Eu e tia Juju no restaurante que eu trabalhava .

Chegando na cidade de Anjio-shi fui levada direto para o alojamento onde eu iria morar , estava morta de sono pois meu fuso horario estava trocado e no outro dia eu já iria começar a trabalhar na fábrica de batatas fritas .

Monte Fuji.

O alojamento era um quarto grande que tinha um fogão pequeno de 2 bocas, um frigobar e uma pia de lavar louça, tinha uma janela e sem nenhuma divisória era como se fosse um predinho que tinha 6 quartos iguais na parte de cima e na parte de baixo , tinha uma área em comum que tinha um banheiro com 3 divisorias, e outra porta que dava para um box separado com  um chuveiro e um ofuro, uma especie de banheira comum por lá , tinha tambem uma pequena lavanderia , tudo ali era coletivo, e só moravam mulheres. Os quartos eram divididos de duas em duas mas como estavam todos ocupados, nós ficamos em tres. Para mim tudo era novidade .


Eu na fabrica de batatas fritas .
 Minhas colegas de quarto eram a  Fumie , uma senhora que deveria ter seus 40 e poucos anos  e a outra era a Marcia , moça nova , de 19 anos, mas muito fechada e  apesar da diferença de idade as duas eram muito iguais , nos primeiros dias confesso que foi meio dificil dividir o quarto com elas, se trocar , dormir, fazer comida ,eu nunca tinha cozinhado no Brasil, eu tinha levado  uma mala cheia de enlatados e besteiras então eu me virava com o que eu tinha levado a noite, durante o dia almoçava na fabrica , confesso que  eu passei os 4 primeiros meses comendo miojo , porque não conseguia comer a comida de lá e na verdade  ate hoje não como , mas o dificil mesmo foi na fabrica de batata frita, pensem numa linha de montagem passando na sua frente um monte de buraquinhos vazios porque não consegue colocar as batatas no lugar certo e seu chefe gritando no seu ouvido coisas que voce nem imagina que sejam e no final da esteira empacotando um monte de pacotes vazios porque voce não conseguiu colocar as batatinhas no lugar certo, caraca !! agora é ate engraçado mas na hora só eu sei o que eu passei .
 Durante o horário de serviço voce nem ve o tempo passar porque voce vira um robozinho , é condicionada a entrar no ritmo deles, mas depois voce começa ver as coisas bonitas que tem por lá, e começa a se divertir com pouca coisa,  lá tudo é reciclado e olha que eu morei lá há 18 anos atrás,  tem o dia certo das coletas de lixo , eu adorava as quartas feiras quando saia da  fábrica e ia ao local de coleta que não é nem parecido com os nossos aterros , era o dia da coleta de eletro eletronicos , como no Japão tudo é muito pequeno e eles não tem muito espaço em suas casas , tudo é muito compacto e funcional e eles lançam muitas  novidades nessa área, e como os japonesês não tem o hábito que nós temos de guardar tranqueiras eles se desfazem das coisas sempre que aduirem produtos novos, eu adorava ir no lixão , gente ! Achava de tudo e tudo funcionando , aparelho de som , tv, maquina fotografica , aparelho de ginastica, violão etc...
Depois de duas semanas , consegui ir ver minha tia Juju , que estava lá , morava perto de mim , mas trabalhava em um restaurante ate tarde da noite e  eu trabalhava de dia na fábrica tinhamos horarios desecontrados, fiquei louca querendo me mudar para o alojamento dela , porque nao aguetava mais aquelas duas chatinhas com quem eu morava , e os meses se passaram , fiz algumas amigas na fábrica, sofria muito com saudades de casa , teve dias que achei que não iria aguentar de saudades da familia, de  meu pai , das amigas que deixei, lá eu era apenas mais uma, pela primeira vez na vida me senti sozinha , essa a liberdade que eu tanto buscava , era bem  diferente dos meus sonhos.
 Fui para o Japão pagando a  passagem com meu trabalho, a dívida foi divida por vários meses e ia sendo descontada do meu salário , eu só não sabia que mulher ganhava menos que homen lá mesmo exercendo a mesma função e que menor de idade ganhava menos ainda , porque não podia fazer hora extra, resultado me sobrava por mês no nosso dinheiro de hoje uns R$ 30,00 , num país onde tudo é novidade , cheio de coisas que eu queria experimentar , comprar , provar, e consumir...e  não podia , porque eu tinha que comprar sabão em pó para lavar roupa , porque ninguem emprestava, foi ai que comecei a perceber  a vida e que ela não era cor de rosa, neste momento estava começando a entender o que realmente estava  acontecendo, enquanto que no Brasil eu sempre tive de tudo e nunca precisei me  preocupar com esse tipo de coisa , lavar, passar , limpar alojamento,  fazer comida, em casa estava tudo sempre pronto .
Com o passar dos meses fui me acostumando ou me condicionando a isso e já não achava mais tão ruim, no terceiro mês consegui ir morar com minha tia e logo fiz amizades com o pessoal de lá,  iamos as lojas de departamento aos finais de semana passear e conhecer a cidade , os parques eram lindos, e uma vez por mes ia ao Mc donalds. Fiquei com minha tia uns quatro meses ai comecei a fazer "arubaito"que em português é  free lance , lavava louças num restaurante do mesmo dono da fábrica em que eu trabalhava,  durante a semana trabalhava ate as 17:00 na fábrica e aos sábados e domingos no restaurate , levei esse ritmo por mais 3 meses ate terminar de pagar as passagens , ai decidi mudar de emprego , fui para outra cidade , nessa altura do campeonto já estava acostumada com o Japão, já arranhava um japonês e fui trabalhar numa fábrica de medidor de gaz , o serviço era pesado,  cada medidor de gaz pesava cerca 3kg eu fazia 570 por dia , lá sim eu trabalhei pra caramba , mas valeu a pena, incrivel como nosso organismo se acostuma com tudo, acho que virei meio androide,com 18 anos eu já fazia todos os dias 2 horas extras por dia e trabalha 2 sábados por mês que era contado como hora extra tambem , lá era uma delicia , parecia um condominio de verdade eram varios blocos de 5 andares e mais de 180 brasileiros trabalhando e morando por lá.

A primeira vez que eu a neve !

Tinha quadra de esportes , piscina, tudo bem que eu nunca entrei né , lá eram 8 meses de inverno e apenas 4 de verão,  foi lá que vi a neve pela primeira vez em minha vida , foi uma emoção tão forte que deu ate vontade de chorar.
Fiz  muitos amigos, saia todos os finais de semana ,e nos feriados prolongados participava de excurções uma vez fui em uma para o monte Fuji num zoo, muito legal, fui em outra num park onde tudo lá era de pedal ate mesmo a montanha russa voce tinha que pedalar para ela andar , tudo no parque era assim, super interessante , havia lá todos os tipos de bicicletas que voce pode imaginar, nos finais de semana pegavamos o trem para ir  a cidade de, Hamamatso,  dançar na Disco  ( uma danceteria ) que era o ponto de encontro dos brasileiros  aos finais de semana , foi uma otima fase,  fiz ate alguns desfiles lá , e já não mais sentia tanta falta do Brasil ,apesar da falta de meus pais falava com eles uma vez por mês por telefone. De vez em quando eu ia em Anjio-shi visitar minha tia , ela continuava no mesmo lugar ainda.
 Sai de casa em busca de um sonho , conhecer o país do sol nascente , consegui e sou muito feliz por isso. 

Tudo na vida vale a pena , essa experiência me fez crescer muito rápido , pulei muitas fases em minha vida mas vivi outras que poucos viveram um dia

Fui para o Japão menina , voltei mulher , conheci o mundo como ele é .

Este é um cemintério , lindo né !
Hoje sei que não estava preparada pra ir para encarar a vida como eu fui , vi muita hipocresia , mas tambem aprendi a viver , e hoje estou aqui compartilhando minha experiência de vida com voces, sei que não é um exemplo a ser seguido , e nem é o que eu espero para minhas filhas , desejo a elas que aprendam com meus erros e que não cometam os mesmos erros que cometi , mas essa é a minha historia e não temos o poder de mudar o passado , mas podemos construirr um futuro novo a cada dia !






Este video encontrei na net e quero dividir com voces a beleza que é este vulcão lindo : O Monte Fuji !